quinta-feira, 1 de março de 2012

Simplicidade que resolve!

Dias atrás eu escrevi aqui sobre resourcefulness. Hoje recebi este vídeo de um amigo, o professor Antonio Martini, de Itapema, SC. Tá tudo lá:

Projeto voluntário + material facilmente coletado + solução para o ser humano + um alívio para o meio ambiente = resourcefulness.

video

Exemplo bacana para todos nós!

Das Coisinhas Simples...

... e valiosas! Um artigo que eu estava lendo propôs o desafio e eu aceitei: procurar em volta pequenas coisas que podem tornar o dia mais especial. Registrar dez delas:


Damas-da-noite colhidas na floreira do balão aqui da rua, em jarra baratinha comprada na ponta de estoque da fábrica de porcelanas de Monte Sião, pertinho daqui.


Na falta de um vaso pode ser também na garrafa de água mineral cortada... o quilt foi feito com sobrinhas de tecido de outros trabalhos, mas é um favorito.


Meus gerânios andavam caidinhos... um mês atrás pus torta de mamona neles e agora estão assim!


O flamboyant aqui em frente de casa dispensa comentários!


A Kimee foi operada há dez dias mas está se recuperando super bem...


O abacateiro do vizinho está ficando carregado...! E vejam, muitos dos galhos pendem para meu quintal...


Tinha de ter fibra nessa história, né? Estou demorando para fiar minha alpaca por causa do calor, mas fiquei surpresa quando enrolei um bocado no niddy-noddy e deu mais de 200 jardas! Até o inverno chegar vou ter o suficiente para tricotar uma peça caprichada!


Quaresmeira florida... fotografei da porta de minha área de serviço.


Pássaro curtindo a sombra do Flamboyant. Em uma tarde bonita assim ouve-se bem-te-vis, sabiás, ararinhas... é só parar para ouvir!


Roberta Sá e Ney Matogrosso cantando "Lavoura". O CD estava rolando há algum tempo, mas eu não estava prestando atenção. Essa é a faixa cinco, um samba-canção. Lindo!

Posso acrescentar uma décima-primeira coisinha? Não estar presa em um escritório, trabalhar em casa e poder a essa hora dar uma volta e reparar nessas coisas!

Aceitam o desafio?

quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

2 Milhões de Tricoteiras?!

Esta noite entrei no Ravelry - entro várias vezes por dia! - e dei com esse comunicado:


Hoje o membro nº 2.000.000 se inscreveu. 2 Milhões!

Em uma de minhas primeiras postagens eu citei uma série de dados tentando mostrar como está o universo dos trabalhos manuais envolvendo fibras têxteis. Agora me digam se não é estarrecedor existir uma comunidade online reunindo 2 milhões de tricoteiras?

Isso é o Ravelry: uma comunidade. Gigantesca. Tudo começou com a paixão de uma pessoa - Jessica Forbes - pelo tricô. E descobrindo que havia muito recurso na internet, arrebanhou o marido, Casey, para ajudar a organizar*. Casey, fera em informática, criou uma plataforma impressionante para gerenciar aficcionados, receitas, tipos de fios, fabricantes, publicações... ufa! É um negócio sensacional, e quem faz parte suspira porque poderia existir um Ravelry para tudo o mais em nossas vidas, não só o tricô (há crocheteiras também, mas o tricô é mais forte por lá). 

O Ravelry hoje é mundialmente famoso (no ambiente craft) e organiza eventos, participa de congressos e feiras, é mencionado em publicações importantes. 


Eu estou por lá desde julho de 2009 (é grátis), e vou contar uma coisa para vocês: esse negócio mudou minha vida! Mudou minha forma de tricotar, influenciou meu estilo, me abriu um universo novo... e foi lá que eu descobri, pela primeira vez, que tem muuuuuita gente fiando a própria lã. Imaginem se eu não ia querer fiar também...

E assim deveria ser a vida, né? A gente precisa sempre buscar estímulos, novidades, desafios... no departamento tricô, o Ravelry tem desafio de sobra para quem tem curiosidade e desejo de aprender. Um exemplo? Vou fazer uma busca por receitas e mostrar para vocês o resultado. O banco de dados do site é enorme e te direciona para receitas gratuitas ou pagas, para livros que contém receitas como a desejada, etc.  Mas digamos que eu esteja interessada apenas em receitas de coletes femininos, gratuitas e disponíveis imediatamente; apareceram 1.819 resultados. Se preferir, posso filtrar minha busca: quero só as receitas  tricotadas com lã de espessura média a grossa - apareceram 61 resultados. Aí eu escolho uma. Mas será fácil? Ficará boa? Na dúvida, eu clico na receita escolhida e o site me mostra quantas pessoas já tricotaram aquela receita, o que elas acharam do resultado, sua opinião quanto à dificuldade, e que fio utilizaram. 


Repararam nas linguetas no alto da página? 741 pessoas já tricotaram essa receita (e seu eu clicar lá eu vejo o que cada uma achou), e 50 pessoas já comentaram a peça em seus blogs. Há sugestões de fio para utilizar e muitos outros detalhes.

Enfim, um site desses devia ter um aviso tipo: "PERIGO DE DEPENDÊNCIA PSICOLÓGICA".

Eu não vivo mais sem ele. E esta sou eu no Ravelry: lá reúno minha biblioteca de receitas, os projetos que já fiz, minha fila de projetos (chamada de "queue", tem só oito idéias - viram como ando contida?), meus favoritos, etc.:


Parabéns pelo 2.000.000º membro, Ravelry!

E já que falei em ter curiosidade, vou encerrar com essa frase de Walt Disney, citada no final do filme "A Família do Futuro":

"Por aqui, no entanto, nós não olhamos para trás durante muito tempo. Seguimos adiante, abrindo novas portas e fazendo coisas novas, porque somos curiosos... e a curiosidade nos leva continuamente a novos caminhos."

Até a próxima, e sejamos curiosos!

*Fonte: Craft Activism, livro bacana da Joan Tapper com fotografias de Gale Zucker; as duas se uniram para mostrar como tem gente por aí usando o artesanato para brigar por suas causas. Elas também mantém um blog para dar continuidade às histórias do livro. 

domingo, 26 de fevereiro de 2012

Mais Lançamentos 2012

Como eu falei aqui uns dias atrás, todos os anos eu espero ansiosamente pelo lançamento da coleção da Cisne porque a Coats ainda é o fabricante nacional que mais tem lançado fios contendo fibras naturais. Essa semana eles divulgaram oficialmente a coleção deste ano, e foi bem o que eu esperava: vários fios tipo novelty (leia-se "afrescalhados"), e alguns poucos contendo pequenas porcentagens de lã natural. Aqui vão alguns destaques:



Merino Plus, 50 % lã natural; deve ser a mesma coisa que o Cisne Merino, lançado uns dois ou três anos atrás. Apesar de misto, é muito gostoso, clássico e ótimo para peças com pontos elaborados. Espessura clássica.

Tonalitá, 20% lã natural. Espessura mais para o grosso.

Nuance, 30% lã natural. Tem uma cartela de cores bem interessante - me parece que é uma simulação do famoso Noro, japonês. Espessura clássica.

Perla, 28% lã natural. É um fio grossão, daqueles para usar um agulhão nº 8 e produzir um tricô despojado e rapidinho.

Rianna, 33% lã natural. Espessura mais para o grosso (agulhas em torno de 6 1/2).

Big, 20% lã natural. Grossão, para agulhas nº 10.

Surprise, 44% bambu (que drapeia bem), 32% acrílico e 24% lã. O site diz que as agulhas devem ser 4 1/2, mas pela foto eu não entendi bem - tem partes do fio que parecem ser beeeeem grossas:


E tem o VIP, que eles anunciam como clássico, ideal para peças únicas e exclusivas. Ele é mais fino e básico (por isso, clássico) e a cartela de cores é linda; mas é 100% acrílico.

Agora é esperar que esses fios apareçam nas lojas para experimentá-los. Aqui na cidade normalmente só encontro os novelty. Sei não. Esse ano, dependendo dos preços (que têm sido cada ano mais altos) e com minha roca a postos, acho que vou passar.

Bom domingo a todos!