sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

Por que trabalhar com as mãos?

Há tempos este vídeo me encanta; e hoje, com a ajuda dos universitários eu consegui legendá-lo; nesse processo a resolução da imagem caiu um pouquinho, mas vale a pena assistir:

video

Renate Hiller é co-diretora do Fiber Craft Studio e co-fundadora do Programa de Artes Aplicadas da Sunbridge College, criado em 1996. Na página inicial do site lemos:

"Hoje, mais do que nunca, o artesanato tem a missão de reconectar o ser humano com a terra e suas substâncias, trazer a cura para os sentidos e a alma, e promover a capacidade criativa do ser humano."

O que estamos esperando?       

P.S.: Dando o crédito a quem merece: o autor deste vídeo é o Chuck Smith.                                                                                                                                                         

Parece que não tem a ver...

...mas tem:

"Não há mais como contar com o crescimento da demanda de bens materiais para crescer. O crescimento pode não ser mais a opção de saída para a crise (…) Não há como viabilizar sete bilhões de pessoas com o padrão de consumo e as aspirações do mundo contemporâneo, nos limites físicos da Terra (…) O crescimento baseado na expansão do consumo de bens materiais está no seu capítulo final."

Estive falando sobre isso em uma das últimas postagens. É longo, mas todos precisamos ler. O link é para o blog do Leonardo Boff.

Bom fim de semana!

Ano novo?

Bom dia!

São sete e meia da manhã e parece que hoje será um dia mais fresco (ou menos quente) por aqui. A semana foi de torrar, e acho que isso não é novidade - pelo jeito foi no país inteiro! Com isso, dei uma folga para as lãs, alpacas e afins: não tricotei nem fiei nada. Mas ontem, já com saudade das agulhas, comecei a fazer um tapetinho de crochê para a cozinha - com fio de algodão! Lã, nesse calor, não dá. Há muito tempo eu não fazia crochê - talvez uns cinco anos... depois eu mostro no que deu.

O primeiro mês do ano já era e nessa época os fabricantes começam a lançar novos fios para o inverno. Eu sempre fico animadinha à espera das novidades, pois a esperança é a última que morre... mas morre. O Bazar Horizonte (site bem legal de comprinhas craft) já tem uma página de fios 2012 e a julgar por esses primeiros lançamentos creio que esse será mais um ano de sintéticos e pompons. De todos as novidades da página só esse aqui tem uma porcentagem de lã de verdade - 35%:

Mas esse é um fio tipo novelty; parece que a tradução é "novidade", mas não é: em inglês, fios novelty são aqueles bem "afrescalhados" - com pompons, pestanas, bolotas, penachos, etc. Ou seja, beeeeeeeeem longe dos clássicos, apropriados para um tricô bonito, bem trabalhado, com pontos que sobressaem.

O curioso é que no ano passado eu fiquei de olho nas vendas dos sites e percebi que os fios que esgotaram primeiro foram os clássicos. Será que os fabricantes não percebem que a gente quer fazer tricô (ou crochê) de verdade? A gente pode até ficar tentado a comprar um desses fios doidões e fazer um cachecol surreal, todo em ponto básico grandão, feito com agulhas enormes; mas quem gosta de tricotar ou crochetar mesmo sente falta de experimentar pontos novos, fazer peças elegantes... e aí tem de ser o fio clássico. Ainda dá para comprovar isso; - é só olhar as páginas de saldão das lojas online: quase tudo novelty.

Resta esperar os lançamentos das outras marcas. A Cisne vem, nos últimos dois ou três anos, lançando fios com porcentagens maiores de fibra natural. Estou apostando neles. Vamos ficar de olho! De tanto sonhar, quem sabe um dia a gente tem acesso a coisas assim:


Lindos, 100% naturais - mistura das raças Targhee e Columbia.

E vocês viram que cores? Ai, meus sais!