terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Papelão, bananas, fé, inspiração, gente!

Hoje mais cedo eu escrevi uma postagem bobinha, mostrando um tipo novo de fibra que eu havia encomendado e fazendo brincadeira com a música do Michel Teló (o quê que deu em mim?!). Na verdade, eu estava ganhando tempo: queria mesmo era escrever sobre o passeio especial que fiz no último domingo, com um grupo de amigos da ACAJAL. Mas havia tanto para mostrar e contar...! Difícil organizar as idéias.

A ACAJAL - Associação de Cultura e Artes José Antonio Lobo -, aqui de Pouso Alegre, está criando um núcleo de artesanato, do qual faço parte; em busca de inspiração, fomos a Maria da Fé, a uma hora e meia daqui, visitar o ateliê do artista plástico Domingos Tótora e a oficina do Gente de Fibra, projeto criado por ele.

Vejam só o que nos esperava:




Nesse recanto delicioso fica o estúdio do artista, e lá ele nos recebeu com evidente boa vontade de compartilhar sua experiência, suas idéias, sua forma de ver a arte e o artesanato.

Domingos, nascido e criado em Maria da Fé, confecciona suas peças únicas, premiadas, utilizando... papelão! 




De tudo o que ouvi nesse encontro, ficou gravada em mim uma frase: a Regina Vilela, membro da ACAJAL nascida em Maria da Fé, disse que láaaaa no começo de tudo já ouvia o Domingos afirmar: "Se eu tiver de vencer vai ser junto com meu povo, com minha terra." Foi com esse pensamento que ele fundou o Gente de Fibra - uma cooperativa que hoje reúne 20 artesãs e um funcionário. A matéria-prima? A mesma massa de papelão utilizada pelo artista e a fibra da bananeira. Vivendo e aprendendo: a bananeira só produz cachos uma vez: retira-se os cachos, e o tronco vai para o lixo. Vai? Não mais. Agora esse pessoal super talentoso aproveita e faz coisas assim:


E novamente, na oficina do projeto, a mesma boa vontade, o mesmo desejo de compartilhar e encorajar:

Edna, do Gente de Fibra, ensina Inês, da ACAJAL.


Nem é preciso dizer que encerramos essas visitas cheios de idéias e otimismo. De quebra, passamos na Igreja Matriz; e guiados pela Regina - que cresceu acompanhando as diversas etapas da construção e sabe das histórias - pudemos nos encantar com toda essa beleza:






Repararam nos motivos desse piso? O mesmo desenho é utilizado em muitas das peças do Gente de Fibra.

Enfim, é minha idéia de arte e artesanato: peças feitas localmente, com matéria-prima da região, por gente da região... e abençoando a vida de todos. Esse astral nos contagiou, e saímos de lá com essas caras felizes:


Partindo da Esquerda: Karina, Inês, Consuelo, Carlos Henrique, Domingos, Regina, Sarah, Adrianne, Lissandra, Eu e Antonio Carlos.

Vou me despedir deixando os links para quem desejar visitar os sites do artista e do projeto:



Até a próxima!

5 comentários:

Rosâna Ruiz disse...

Jane, adquirir cultura é maravilhoso e vc faz isso com maestria ! Beijos

Suzi disse...

Jane, impressionante como vc absorve e transmite tao bem a cultura pra todos nós!Bjos

Regina Vilela disse...

Oi Jane, realmente foi um dia inesquecível. Adorei compartilhar com vocês o orgulho que sinto da minha terra e da nossa gente! O Domingos é um exemplo a ser seguido. Tudo é possível quando se tem em mente que vai dar certo. Obrigada à você e ao Antonio (que gentilmente aceitou ser um dos nossos motoristas). Que bom ter você na ACAJAL. Temos muito a lucrar com isso!

Jane Bertolaccini disse...

Obrigada, meninas. Eu sou só uma curiosa, nada mais... rssss

Regina, eu é que sou grata por estar na ACAJAL e pela acolhida de vocês!

Eliane disse...

Adorei a sua matéria!
Sempre tive vontade de aprender a trabalhar a fibra da bananeira.
Ainda quero achar quem dá este curso e como participar.
Obrigada !!